Como aumentar a produtividade da minha fazenda?

 

O aumento na demanda global por alimentos impacta diretamente na economia de países dependentes do agronegócio, como é o caso do Brasil.

Neste cenário, há uma intensa competição entre empresários do agronegócio. Se você quiser se manter competitivo deve ser preocupar com análise de dados, controle de custos, controle de estoque e uso de tecnologia na tomada de decisões.

 

Análise de Dados

 

Observe. Estabeleça critérios para analisar a produtividade de sua propriedade. Em relação ao rebanho, analise e compare valores referentes à alimentação, reprodução, produção de leite, cuidados com os animais.

Para a lavoura, observar uso de insumos, resultado da colheita, rendimento das plantas, qualidade do solo. Estes são apenas alguns exemplos, quanto mais completa for a sua análise, melhor.

É fundamental ter esse conhecimento para administrar a fazenda. Só assim você poderá tomar as decisões necessárias baseadas em dados reais e não apenas achismos.

É interessante que você defina metas de curto, médio e longo prazo e deixe os critérios alinhados com essas metas. Assim você terá uma orientação clara do caminho a seguir.

 

Controle de Custos

 

Saber os custos de suas operações é fundamental para saber a rentabilidade do seu negócio.

Finanças desorganizadas só trazem prejuízos. Caso você queira fazer investimentos em seu agronegócio, fica difícil saber qual decisão tomar desconhecendo gastos com alimentação de animais, com insumos agrícolas, pagamento de funcionários, manutenção de máquinas, etc.

Isso pode resultar na tomada de decisões erradas, perda de negócios lucrativos e redução na produtividade.

Uma forma de organizar sua gestão financeira, é manter um fluxo de caixa. Leia este outro artigo para saber como montar um.

 

Controle de Estoques

 

O estoque é um dos pontos críticos das empresas. Nas fazendas não é diferente. Estoques muito grandes são muito dinheiro parado, estoques muito pequenos representam um risco de faltar.

Para encontrar o ponto de estoque ideal, o primeiro passo é ter controle. Depois é analisar: “qual o melhor tipo de estoque para o meu negócio?”.

Um estoque bem organizado pode auxiliar no seu planejamento, além de mostrar quais dos seus produtos estão vendendo mais e quais estão vendendo menos. Outra utilidade de um estoque bem organizado é dificultar a possibilidade de fraude por parte dos funcionários.

 

Uso de Tecnologia

 

A melhor forma de reunir as 3 dicas anteriores é através da tecnologia. Analisar dados, fazer controle financeiro, controlar estoque e ainda planejar as decisões a serem tomadas ficam muito difíceis sem algum auxílio tecnológico.

Atualmente, existem vários aplicativos para smartphone, tanto Android quanto IOS, que auxiliam em diferentes aspectos da sua fazenda e podem ser verdadeiras formas de se organizar de maneira ágil e simples.

Confira uma lista com 10 aplicativos gratuitos aqui!

Uma outra recomendação, é conversar com uma consultoria rural, você poderá entender melhor a forma de organizar as finanças e os processos da sua propriedade rural.

 

 

Como otimizar o espaço da minha empresa?

Como melhorar o ambiente de sua empresa?

Atualmente, há um número crescente de empresas surgindo no Brasil. Cada vez mais, torna-se necessário se destacar no mercado para que se possa crescer frente a tantas outras empresas, que muitas vezes são concorrentes. Uma das maneiras de melhorar internamente a sua empresa é organizando os seus dispositivos, de forma a otimizar os seus processos.

 

Há três formas de se arranjar o espaço para otimizá-lo e melhorá-lo:

layout por produto organiza as máquinas de acordo com a necessidade de produção. Esse arranjo é conhecido como produção em série onde o produto é formado na linha de montagem progressivamente. Dessa forma, não há intensa movimentação dos funcionários, sendo necessário apenas a correta disposição das máquinas.

layout por processo oferece flexibilidade para diferentes produtos. Disponibiliza ferramentas e equipamentos numa sequência fixa, de modo a produzir uma série de produtos com finalidades diferentes.

No layout por posição o produto permanece fixo num local. Seus componentes são produzidos em outro espaço e levado para a área de produção da montagem final.

A escolha do layout depende das características, quantidades e necessidades da produção. Além disso, depende também dos recursos e benefícios pretendidos. No entanto, o layout é apenas uma das etapas do processo de otimização.

 

Dicas para otimizar o ambiente do seu estabelecimento

1 – Separe tarefas e processos

Não deixe que muitas tarefas e processos se acumulem no mesmo local, a não ser que seja imprescindível. Quanto mais tarefas no mesmo local, maior o número de processos que ocorre ali, consequentemente a chance de se ter um choque entre os eles é maior.

2 – Utilize todo o seu espaço

Não se esqueça que cada centímetro quadrado do seu estabelecimento pode ser totalmente funcional. Portanto, se há algum espaço sendo inutilizado, crie já uma utilidade para ele. Para isso, é importante ter também móveis e equipamentos adequados para o tipo de espaço de trabalho.

3 – Cuidado com a proximidade dos processos

Muitas vezes existem processos que não podem ocorrer perto uns dos outros, visto que eles podem se influenciar negativamente ou gerar um fluxo de pessoas excessivo. Por isso, se atente para que isso não aconteça, um exemplo clássico e simples é não deixar um freezer perto de uma caldeira e um estabelecimento alimentício.

4 – Mantenha seus processos mapeados

É importante que todos os processos dentro de sua empresa estejam mapeados e modeladosde maneira correta. Isto além de ajudar a encontrar novas soluções, facilita o controle e supervisão dentro do seu estabelecimento.

5 – Procure melhorar a disposição interna de sua empresa

Procure sempre tentar novos rearranjos no ambiente da sua empresa buscando cada vez mais otimizar o resultado final. Para isso, é importante coletar sugestões de quem trabalha diretamente em determinada área, pois o funcionário terá uma visão mais realista das atividades que realiza no dia-a-dia e identificar problemas no fluxo das mesmas.

Como calcular o Ponto de Pedido?

O conceito de Ponto de Pedido é o momento ideal para emitir um pedido de compra, estando diretamente relacionado com o modelo de Estoque Mínimo, também chamado Estoque de Segurança.

Neste modelo de estoque, você estabelece uma quantidade mínima para que você possa operar no caso de algum evento inesperado enquanto repõe seu estoque.

O Ponto de Pedido serve para otimizar o Estoque de Segurança.

De nada adianta você estabelecer um Estoque Mínimo e somente efetuar o pedido de compra quando a quantidade de produto em estoque atinge o que foi pré-estabelecido.

Se você fizer isso, o risco de ruptura do seu estoque será muito grande.

Ponto-de-Pedido-Risco-de-Ruptura

É aqui que entra o cálculo do Ponto de Pedido, para identificar o melhor momento de emitir uma ordem de compra ao fornecedor.

Para calculá-lo é necessário prestar atenção em variáveis de tempo. Entre elas: tempo de emissão, de preparação, de produção e de transporte.

Todas estas variáveis são responsáveis por alterar o tempo de reposição, uma variável que faz parte do cálculo do Ponto de Pedido.

O cálculo considera o Estoque de Segurança (ES), o Consumo Médio (CM) e o Tempo de Reposição (TR) sendo obtido através da seguinte fórmula:

PP = (CM x TR) + ES

Em muitos casos, quando não houver diferença nos tempos de entrega e de reposição, o ponto de pedido será o dobro da quantidade prevista para o estoque de segurança.

O objetivo é evitar o uso desse estoque reserva, mantendo a empresa longe da ruptura.

Ponto-de-Pedido

8 formas de você organizar o estoque do seu comércio

Todo varejista sabe que a gestão do estoque impacta diretamente no desempenho das vendas. Mas como saber qual o tipo de estoque mais adequado ao seu negócio? Como gerenciar diferentes tipos de estoque?

Primeiro é importante conhecer os tipos de estoque e seus processos, para fazer uma gestão eficiente. Conheça a seguir os principais tipos de estoque:  

 

Estoque de Antecipação

Esse estoque é utilizado geralmente em duas situações: sazonalidade e instabilidade no fornecimento. Nesse caso, a empresa antecipa sua produção ou fornecimento para atender alguma demanda futura. É o que ocorre em épocas como Natal, Páscoa ou Black Friday.

 

Estoque de Ciclo

Esse é o estoque mais indicado para empresas com alta rotatividade de produtos e precisam garantir a eficiência em demandas constantes e diferentes.

Mesmo que a produção dos itens não seja simultânea, é preciso manter todas as mercadorias à disposição dos clientes.

Este modelo exige a movimentação constante do estoque, o ideal é utilizar códigos específicos ou outras ferramentas que facilitem o monitoramento dos produtos, além de estabelecer limites mínimos e máximos para cada um deles.

Esta é a forma da empresa manter seu volume de vendas mesmo que hajam alterações na demanda.

 

Dropshipping

Este é um modelo de varejo e estoque. Nele, o cliente faz uma compra em uma loja virtual, que encaminha o pedido para o fornecedor  e esse envia o produto em nome da loja na qual foi feita a compra.

Sendo muito utilizado no modelo e-commerce, para quem usa esse tipo de estoque é fundamental o relacionamento com bons parceiros, fornecedores, transportadoras e centros de armazenagem para atender as demandas dentro do prazo.

 

Estoque de proteção

Também conhecido como estoque isolador, é um dos tipos de estoque mais utilizados por empresas dos setores alimentício e automobilístico.

O objetivo deste estoque é proteger as operações de venda mantendo um estoque de forma a garantir a disponibilidade de produtos mesmo diante de situações desfavoráveis ou inesperadas, como greve de fornecedores, alta de preços ou uma elevação súbita da demanda.

 

Estoque de Canal

Este é um tipo intermediário de estoque, referente ao trânsito de mercadorias entre sua origem e seu destino final.

Controlar estes itens é igualmente necessário para traçar um planejamento adequado de entradas e saídas de produtos.

Apesar das dificuldades com este controle, seja por condições das vias, dos meios de transporte ou condições adversas, a tecnologia pode contribuir grandemente e facilitar muito esta gestão.

 

Estoque Inativo

O estoque inativo é composto por produtos que não tiveram um bom desempenho em vendas.

Neste caso, há algumas opções: a primeira é tentar negociar estes produtos com os fornecedores, para trocar os que estão parados por outros de maior circulação. A segunda é organizar saldões ou promoções com estes produtos, de forma a torna-los mais atrativos aos clientes.

 

Estoque Mínimo

Também conhecido como Estoque de Segurança, é uma reserva de produtos que é mantida em casos excepcionais de demanda. Se a demanda ficar acima do normal, é possível utilizar algumas unidades do estoque mínimo enquanto o Pedido de Compra está em trânsito.

IMPORTANTE! O Estoque Mínimo não pode ser o gatilho para a compra de produtos. O Ponto de Pedido deve ser antes de que o estoque chegue a este nível.

O Estoque Mínimo protege o estoque de zerar. Desta forma, é mais fácil ficar preparado para necessidades inesperadas.

Existe uma fórmula simples para calcular o estoque mínimo.

Estoque mínimo = Consumo médio x Período de Tempo

Consumo Médio = Consumo das mercadorias / 2

 

Estoque Máximo

Delimita a quantidade máxima de estoque. O conhecimento deste indicador é importante para evitar alguns problemas relacionados a espaço físico, produtos perecíveis, custo de armazenamento e produtos que necessitem de cuidados especiais.

O conhecimento do estoque máximo também pode ser interessante no caso da aquisição de uma quantidade grande de itens de uma só vez. Desta forma, as empresas podem negociar preços melhores por cada mercadoria e facilidades no pagamento, gerando economia de recursos.

Para calcular o estoque máximo é só somar o estoque mínimo com o maior lote de compra do produto.

Estoque Máximo = Estoque Mínimo + Lote de Reposição